Últimas:
  • Projeto de Hermano inclui… Oriundo de Projeto de Lei do deputado estadual Hermano Moras, foi aprovado nesta quarta-feira (13) na Assembleia Legislativa, a inclusão de 5% de produtos derivados…
  • Projeto de aleitamento materno… Aprovado por unanimidade em votação na Assembleia Legislativa, o projeto do deputado estadual Hermano Morais assegura a criança o direito ao aleitamento materno nos estabelecimentos de…
  • Projeto e Emenda de… Um Projeto de Lei do deputado estadual Hermano Morais e uma Emenda, também de sua autoria, a um projeto do governo, foram aprovados por unanimidade…
  • Bicentenário da congregação Marista… Os 200 anos do Colégio Marista no mundo e os 86 anos em terras potiguares foram homenageados durante solenidade na Assembleia Legislativa nesta segunda-feira (11).…
  • Congregação Marista será homenageada… Para celebrar uma das instituições educacionais mais importantes de nosso tempo, o deputado estadual Hermano Morais, como um de seus ex-alunos, será o propositor de…
Facebook Twitter Instagram

Projeto de Hermano inclui produtos derivados do caju na merenda escolar

Oriundo de Projeto de Lei do deputado estadual Hermano Moras, foi aprovado nesta quarta-feira (13) na Assembleia Legislativa, a inclusão de 5% de produtos derivados da cajucultura na merenda escolar fornecida aos estudantes da rede pública do Estado do Rio Grande do Norte durante o ano letivo.

O Projeto diz que os produtos derivado do caju deverão ser adquiridos da agricultura familiar, podendo ser de produtor individual, de associação ou de cooperativa. Ainda de acordo com o PL, fica o Poder Executivo autorizado a promover a capacitação dos produtores e suas famílias, na organização da produção e comercialização, através da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural (EMATER) e da Empresa de Pesquisa Agropecuária (EMPARN).

A produção e a comercialização da castanha-de- caju in natura representam uma atividade tradicional na Região Nordeste, sobretudo nos estados do Ceará, Rio Grande do Norte e Piauí, que são os principais produtores. A atividade oferece grande potencial para a geração de renda, emprego e desenvolvimento, tanto na propriedade rural quanto nas agroindústrias localizadas nas zonas urbanas.

Apesar de enfrentar alguns desafios, destacando-se a necessidade do aumento da produtividade com uso de tecnologia, visando crescimento da produção, a cajucultura no Rio Grande do Norte é de fundamental importância para o processo produtivo e sustentabilidade do setor rural potiguar.

O caju é formado pela castanha e pelo pedúnculo, ou falso fruto. Do pedúnculo, que contém de três a cinco vezes mais vitamina C que a laranja, além de cálcio, fósforo e outros nutrientes, pode ser obtida grande quantidade de produtos, a partir do processamento industrial ou mesmo de forma artesanal, destacando-se a produção de sucos, doces e desidratados, como também a sua larga utilização culinária na obtenção de pratos quentes e frios.

Já da castanha, além da amêndoa, que apresenta grande valor nutritivo e se constitui no principal produto da industrialização do caju, são obtidos o líquido da casca da castanha, a matéria-prima básica para a fabricação de vernizes, tintas, plásticos, lubrificantes, inseticidas, e o tanino, que é obtido da película da amêndoa, sendo utilizado com grande aplicação na indústria química.

Fator de desenvolvimento regional, do caju podem ser obtidos diversos produtos, como: suco integral; néctar; suco concentrado; refresco; cajuína; geleia; sorvetes; doce em massa; caju cristalizado; farinhas; doce em calda; rapadura; tortas; compotas; pães; recheios; biscoito; patês; passa de caju; hambúrguer e carne básica de caju para pastéis, moquecas, tortas salgadas, quibes, omeletes e outros pratos.

Rico em vitaminas, fibras e nutrientes, a inclusão do caju na merenda escolar da rede estadual de ensino pode melhorar os valores nutricionais da alimentação de nossos estudantes e promover o desenvolvimento local.

Agenda pelo Seridó: Novena, Feira Agropecuária e Entrevista

O deputado estadual Hermano Morais cumpriu agenda na região do Seridó Potiguar desde a última sexta-feira (01), mais precisamente nas cidades de Jardim do Seridó e Parelhas.

No primeiro município, Hermano participou da novena de abertura das festividades de Nossa Senhora da Conceição, padroeira local. A celebração foi feita pelo padre Stanley e contou com as presenças da vereadora Andréa, seu esposo, o prefeito de Carnaúba dos Dantas, Gilson Dantas, e o ex-secretário de Turismo de Parelhas, Carlinhos Assis.

Logo após a novena, aconteceu o lançamento oficial da 4ª Feira de Agronegócios de Jardim do Seridó, que contou com a exposição de queijos artesanais, ação esta realizada graças ao projeto de lei de regulamentação da autoria do deputado. A organização foi feita pelo Sebrae.

No dia seguinte, o parlamentar esteve na Rádio Rural de Parelhas, onde concedeu entrevista aos comunicadores Joelma de Souza e Marcos Dantas durante o programa Mesa Redonda. Falou-se das ações do mandato na Assembleia Legislativa como o projeto dos queijos artesanais, luta em defesa da cajucultura, Rota do Cordeiro Potiguar, política partidária, entre outros assuntos.

Ouça abaixo a entrevista completa à Rádio Rural de Parelhas:

 

Projeto de lei prevê inclusão de produtos da cajucultura na merenda escolar

Um projeto de lei de autoria do deputado Hermano Morais deverá reforçar a cadeia produtiva da cajucultura, ao mesmo tempo em que também irá beneficiar alunos da rede pública de ensino do Rio Grande do Norte.

Pela ideia formulada pelo parlamentar, é proposta a inclusão de 5% de produtos derivados da cajucultura na merenda escolar da rede estadual.

Os produtos, além disso, precisam ser adquiridos através da agricultura familiar, podendo ser o produtor individual, de associação ou de cooperativa.

“Apesar de enfrentar alguns desafios, destacando-se a necessidade do aumento da produtividade com uso de tecnologia, visando crescimento da produção, a cajucultura no Rio Grande do Norte é de fundamental importância para o processo produtivo e sustentabilidade do setor rural potiguar”, destacou o deputado Hermano Morais.

Segundo dados da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária – Embrapa, o Rio Grande do Norte conta com 92% do seu território situado na região semiárida, possuindo 126.585 hectares de cajueiro (IBGE, 2010), distribuídos em praticamente todas as regiões do estado.

Fonte: AssembleiaRN

Hermano requer a SAPE mapeamento dos produtores de caju

O deputado estadual Hermano Morais (PMDB) requer ao Secretário de Estado da Agricultura, Pecuária e da Pesca – SAPE, o Sr. Guilherme Moraes Saldanha, um mapeamento dos produtores de caju do Rio Grande do Norte.

No último dia 10 foi instalada a Câmara Técnica Setorial da Cajucultura, no auditório do Parque de Exposição Aristófanes Fernandes, em Parnamirim/RN. Um relevante acontecimento para reerguer a cadeira produtiva do caju do Rio Grande do Norte.

Para avançarmos ainda mais, neste sentido, solicitamos ao Governador do Estado do Rio Grande do Norte, o Sr. Robinson Faria, e ao Secretário de Estado da Agricultura, Pecuária e da Pesca – SAPE, o Sr. Guilherme Moraes.

Saldanha, um mapeamento dos produtores de caju do nosso Estado, uma vez que o nosso mandato está trabalhando em um Projeto de Lei que tramita nesta Casa Legislativa, cujo objetivo é fomentar este segmento que está pedindo socorro.

Cajucultura e produção de queijo são temas de pronunciamento de Hermano

A cajucultura e a produção de queijo artesanal foram os temas do pronunciamento do deputado Hermano Morais (PMDB), na sessão ordinária desta quarta-feira (11) no plenário da Assembleia Legislativa. O parlamentar registrou a sua participação, no sábado (7) de um Dia de Campo, na fazenda Zé de Bia, em Severiano Melo,  onde foi discutida a importância da produção de caju para o Estado e onde recebeu o título de cidadania daquela cidade, conferido pela Câmara Municipal.

No Dia de Campo foi defendida a luta pelo fortalecimento da cajucultura, um setor importante para a economia de muitos municípios do Rio Grande do Norte. É necessária a renovação do cajueiral em função da seca que se abate sobre o estado e da praga da mosca branca. Aproveitamos para agradecer pelo título de cidadão, comenda que me foi entregue debaixo de um cajueiro em solenidade que contou com a presença dos vereadores Berg Monteiro, Diogo Biá, Gilson Carvalho, Cesinildo Gomes, Poliana Melo, Bruno Melo, Ivanésio Cândido, Derimar Barros e Dadilson Matias”, destacou o deputado.

Hermano disse que ontem na Festa do Boi, que está sendo realizada em Parnamirim, na região Metropolitana do Estado,  foi instalado a Câmara Técnica Setorial da Cajucultura, com  nove membros entre representantes de órgãos públicos e produtores para a discussão e troca de experiências sobre a cajucultura.

Já no domingo (8), também na Festa do Boi, o tema no Espaço Sebrae foi a produção de queijo, com exposição, degustação e venda do produto de diversas partes do País, quando Hermano teve a oportunidade de falar sobre  a Lei Nivardo Melo, de sua autoria, que regulamentou a produção artesanal de queijos no Rio Grande do Norte.

Nesta quarta-feira  esteve na mesa redonda no Espaço Sebrae sobre a Lei Nivardo Melo, com a participação do deputado Hermano Morais.

Fonte: Assembleia RN

Câmara Técnica da Cajucultura é instalada na Festa do Boi

A tão esperada criação da Câmara Técnica do Cajucultura (TECCAJU) foi instalada na manhã desta terça-feira (10) durante a 55ª Festa do Boi, em Parnamirim-RN. Produtores rurais de diversas regiões do Rio Grande do Norte, o secretário de Agricultura e Pesca, Guilherme Saldanha, o deputado estadual Hermano Morais, membros da Empresa de Pesquisa Agropecuária do RN (Emparn) e alguns setores da sociedade civil se fizeram presentes na solenidade.

A criação da TECCAJU tem como necessidade em reconhecer e valorizar a cadeia produtiva da Cajucultura no Estado do Rio Grande do Norte, de modo a garantir a sustentabilidade e corrigir distorções entre os diversos atores da cadeia, garantindo a equidade econômica e financeira dos segmentos produtivos.

A TECCAJU será composta por nove representantes de Instituições Governamentais e Civis, como membros. Após a composição e definição, via eleição, do Presidente, que por sua vez indicará o Secretário Executivo, serão nomeados, por um período de dois anos, pelo Presidente do Conselho Estadual de Desenvolvimento Rural Sustentável (CEDRUS). Os membros se reunirão, ordinariamente, duas vezes por ano, no início de cada semestre, e extraordinariamente quando convocado pelo seu Presidente ou pela maioria de seus membros ou ainda por solicitação do Conselho.

A entidade poderá criar Comissões ou Grupos de Trabalhos Específicos, com prazo determinado, para estudar, propor, detalhar e analisar assuntos relacionados com o cajucultor, nos aspectos inerentes ao Crédito Rural, Assistência Técnica e Extensão Rural, Pesquisa, Comercialização e Capacitação, prioritariamente.

O deputado “Zé do Cajú”, como assim os produtores de cajú de Severiano Melo passaram a chamar Hermano, vem lutando há quase dois anos pela causa, com realização de audiências públicas na Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte, bem como reuniões que sempre reforçaram a necessidade da instalação da desejada Câmara Técnica da Cajucultura.

“Conseguimos unir o setor com a materialização desta câmara técnica para uma discussão permanente, e o setor, assim, poder se reerguer. Com isso estamos bem animados com esta nova etapa a ser trabalhada por todos os envolvidos”, disse o parlamentar.

 

 

Hermano recebe título de cidadão em Severiano Melo

Enlutado há pouco mais de um ano e meio na causa da cajucultura, o deputado estadual Hermano Morais (PMDB) teve o reconhecimento dos vereadores de Severiano Melo após abraçar a causa local e se tornou o mais novo cidadão do município.

A honraria foi entregue ao parlamentar no último final de semana, em momento pouco convencional para a titulação. Isso porque a comenda foi concebida durante uma aula de campo na fazenda de Zé de Bia. Participaram os vereadores Berg Monteiro, Diogo Bia, Gilson Carvalho, Cesinildo Gomes, Poliana Melo, Bruno Melo, Ivanésio Cândido, Derimar Barros e Dadilson Matias.

“Queria agradecer em nome de Elano Gomes todo o legislativo municipal pelo reconhecimento. Me sinto muito feliz e honrado em ter recebido das mãos dos vereadores de Severiano Melo a placa que me concede o título de cidadão do município. Entramos com afinco na luta pela valorização da cajucultura, tão bem representativa na região e de potencial econômico para o Estado”, disse o deputado.

Hermano realizou duas audiências públicas na Assembleia Legislativa e participará durante a 55ª Festa do Boi do lançamento da câmara técnica do cajú, que irá estabelecer um debate recorrente entre os envolvidos no setor.